11 de novembro de 2009

Versos Nocturnos



Sandro Botticelli


Amargo amor que me cegou
Lento vento que me despiu
Não me respondas que acabou
E que meu coração partiu


A saudade corrói a vida
deixa a nossa caravela à deriva
Quando é que tu regressas
E o teu amor me confessas?


O tempo secou o lago feito com lágrimas
A ferida já se tornou numa cicatriz
Em silêncio te declaro rimas
Sabes bem que és a mediatriz


As minhas telas cheiram a solidão
O meu corpo contém o amor das tuas mãos
Os versos foram levados pelo vento
E  os segundos pelo tempo


A mente desespera por um beijo 
O choro por um abraço
Louvado seja este desejo
Que me rouba o cansaço


Em todo o lado encontro vestígios do nosso amor
Não aguento mais viver sem o teu calor
Volta para aqui
Eu nunca me esqueci de ti...


                                                                                        Rita Madeira, 11.º ano

3 comentários:

EternaApaixonada disse...

Que maravilha!

Parabéns à Rita Madeira que nos presenteia com Versos Noturnos lindos!

Que todos estejam a comemorar um ótimo Dia de São Martinho!

Abraços cá do outro lado do mar...

Helô Spitali

terezinha bordignon disse...

Lindo, lindo, lindo!

Uma obra de arte em palavras!

Rita disse...

Na altura em que foi escrito ainda era 10º Ano :)